EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish
Casa Bacarirá | +55 12 3865-3275 | +55 12 99622-9043

Blog

12 jul

Os 9 atrativos naturais imperdíveis do Sítio Bacarirá

A Casa Bacarirá tem o privilégio de estar inserida no sítio ecológico Bacarirá, aos pés do Parque Estadual da Serra do Mar.

O sítio tem mais de 20 hectares de mata atlântica preservada, e um pedacinho dele é aberto à visitação de nosso queridos hóspedes, amigos e visitantes.

Listamos abaixo os top 9 atrativos naturais imperdíveis pra quem vem visitar o sítio ou se hospedar aqui na Casa!

Mapa do sítio

1. Sapopemba – A matriarca

Essa gigantesca árvore é a “mãe” do sítio Bacarirá.

Lar de mais de 37 espécies contabilizadas de diferentes tipos de plantas inquilinas como orquídeas, bromélias, lianes, cipós, samambaias e também de incontáveis espécies de insetos e da fauna local, a Sapopemba da família das Eleocarpáceas, é um ecossistema à parte.

Sua raíz impressionante e seu largo tronco sustentam a árvore que tem em torno de 45 metros de altura e 300 anos de idade.

Sapopemba, ou sapobema, é uma palavra originada do tupi sau’pema, que significa raiz chata.

É a maior raíz catalogada do Parque Estadual da Serra do Mar e se encontra em nosso jardim, a 10 passos da nossa piscina.

2. Piscinas naturais e poço de argila

O córrego do meio, nome do riacho que faz a fronteira do Sítio Bacarirá, tem sua nascente em nossa propriedade.

.Nesse córrego, foram “desenhados” pelas mãos do paisagista, ecólogo e proprietário do sítio Friedrich Widmer (Sr. Frederico), 8 pequenas piscinas naturais

Na piscina de número 5 existe uma pequena laje de argila natural, pronta para ser utilizada em banhos terapêuticos.

3. Riacho Bacarirá

Do outro lado da rua, seguindo nosso muro do estacionamento, se encontra o riacho Bacarirá que faz a divisão do Sítio Bacarirá. Bacarirá em tupi-guarani significa “o rio do peixe pequeno”, é de onde veio a inspiração pro peixinho em nosso logo 😉

Os bacarirazinhos (como chamamos os peixinhos) estão por toda a parte e adoram “beliscar” nossos pés.  

4. Lagoinha e Poço das “Estulturas”

Um pouco mais acima no rio Bacarirá está o poço das “estulturas” do Sr. Frederico.

Estultura, um trocadilho de estulto (tolice) com escultura,  foi o nome divertido inventado pelo alemão excêntrico para sua atividade de empilhar pedras, que é conhecida pelo nome de Rock Balance ou Stone Balancing.

Dependendo da época do ano, você vai encontrar mais ou menos quantidade de seus tótens. As vezes, pós tempestade, muitos dos tótens se vão. Mas é aí que reside a beleza da coisa. Ele não se importa e até gosta quando os hóspedes e visitantes deixam sua contribuição com novas estulturas.

5. Clareira

Atravessando o riacho Bacarirá à pé seguindo por uma trilha curta, o visitante vai se deparar com uma imensa clareira no meio da floresta.

Ponto de observação de algumas espécies de árvores bem antigas da mata atlântica cujo tamanho chamam a atenção.

Espaço contemplativo e meditativo, onde vivências com fogueira e argila são permitidas.

6. Trilha da Água

Essa pequena trilha que se encontra ao contornar a Sapopemba leva à captação de água daqui do sítio e da Casa Bacarirá

A nascente do córrego do meio e do Bacarirá estão a pelo menos 40 minutos de caminhada para dentro da mata, mas em menos de 15 minutos de caminhada na mata o visitante pode conhecer rapidamente o sistema de abastecimento de água e desfrutar de um banho de bica natural.

Permeada por varios córregos, riachos e jardins de helicôneas, a trilha atravessa uma antiga plantação de cacau e de palmito. Não é raro avistar os bugios e ou os macacos-prego que habitam por aqui.

7. Fogueira

No jardim atrás da casa, ao lado da tenda, se encontra uma área destinada à fogueira.

Nós gostamos de acendê-la em qualquer época do ano.

8. Observação de primatas

Toda a mata atrás da Casa é lar de duas famílias grandes de macaco-prego e bugio.

Durante a época de Jaca (entre fevereiro e maio) é mais fácil de avistá-los, mas os escutamos o ano todo. Não os alimentamos nem permitimos que o façam.

9. Comedouro de aves

Próximo à área de café da manhã e estacionamento, temos um comedouro para os pássaros.

No entanto não utilizamos de bebedouros artificiais. Há um grande número de famílias de diferentes espécies de aves habitando nas árvores do entorno.

Os pica-paus, bem-te vi e sabiás apreciam muito a grande mangueira do jardim frontal para fazerem seus ninhos, enquanto os guaxes gostam das goiabeiras e os tucanos dos guapuruvus. As saíras, sanhaços e tiês moram no bananal em face e vem nos visitar diariamente em busca de bananas maduras entre outras frutas que colocamos nos comedouros.

Leave a Reply